Dica Prática: Chegando ao principal aeroporto de NY – JFK

Foto de capa: unsplash-logoColton Duke

Fomos em dezembro de 2017 para Nova York. Quem quiser saber um pouco dos programas que realizamos por lá, leiam: E se a gente fosse passar o Natal em NY?

Ao contrário da Inglaterra, os Estados Unidos ainda exigem visto dos brasileiros. Portanto, antes de qualquer coisa, garanta seu visto no consulado americano no Brasil. O visto é só um dos itens para sua entrada nos Estados Unidos – ainda existe a entrevista com o agente da imigração.

Aqui no Brasil, a coisa funciona da mesma forma: o visto que fornecemos para estrangeiros não garante a entrada em nosso país. O estrangeiro também precisa passar pela entrevista na alfândega brasileira.

A ideia aqui é mostrar o passo a passo, da saída do avião até chegar na frente do agente de imigração. Entendemos que, sabendo todos os detalhes do que vai acontecer e como vai ser ANTES de chegar ao agente de imigração, você terá muito mais tranquilidade para entender um pouco do que o agente fala, ou até mesmo calma para pedir um tradutor para que você consiga se explicar. A grande vantagem aqui é que sempre tem algum funcionário que fala espanhol, e por mais que não saibamos a língua, entre espanhol e inglês, fica mais fácil entender o espanhol.

O aeroporto internacional Jonh F. Kennedy (JFK) é uma das principais portas de entrada dos Estados Unidos. É o 6º maior nos Estados Unidos, e o 22º no mundo, em número de passageiros (2017). Foram 59 milhões de pessoas, sendo 32,5 milhões de passageiros internacionais em 2017. São OITO terminais espalhados por 4930 acres (quase 20 km²), 80 companhias aéreas, 155 destinos diretos e 37 mil pessoas trabalhando no JFK.

mapa aeroporto JFK NY

Ele é administrado pela “Port Authority of New York & New Jersey” (Autoridade Portuária de Nova York e Nova Jersey).

Agora que já temos uma ideia do tamanho do aeroporto, vamos ao passo a passo do avião ao agente de imigração.

Assim que descer do avião, você deve procurar placas que indicam “Passport Control” (Controle de Passaporte). Aqui vale sempre a máxima: vá ao banheiro antes de entrar na fila. Você deverá entrar na fila de “Visitors” (Visitantes), ou na fila indicada pelo agente de imigração.

Assim como na Inglaterra, temos que preencher um cartão semelhante ao Landing Card inglês. Nos Estados Unidos, o documento recebe o nome de “CBP Declaration Form 6059B” (Formulário de Declaração da CBP 605B), onde se vê escrito “Customs Declaration” (Declaração Alfandegária) logo após o cabeçalho do U.S. CBP, e que funciona de forma semelhante ao Landing card.

U.S. CBP – U.S. Customs and Border Protection (Alfândega e Proteção de Fronteira dos Estados Unidos)

No caso do formulário norte-americano, você deve receber um POR FAMÍLIA ainda dentro do avião. De novo, se não receber, pode retirar antes do controle de fronteira. Neste caso “família” é definido como todos os membros que moram na mesma residência e estão relacionados por sangue, casamento, relações domésticas ou adoção.

Em alguns aeroportos americanos (caso do JFK, do Chicago O’Hare e Orlando), implantou-se um sistema de triagem ANTES do oficial de imigração. São máquinas parecidas com caixas eletrônicos. Há vários funcionários indicando a fila em que você deve entrar e como utilizar o terminal. Nós brasileiros devemos procurar placas que indiquem “Non-U.S. Citizens” (Não Cidadãos Norte-americanos). Como estamos indo a turismo (visto B-2), temos acesso a esse sistema de triagem. Vistos B-1 e D também têm acesso ao sistema de triagem.

APC – Automated Passport Control (Controle de Passaporte Automatizado)

Esse sistema recebe o nome de APC (Automated Passport Control – Controle de Passaporte Automatizado). Aeroportos que possuem este sistema NÃO NECESSITAM DO PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO “CUSTOMS DECLARATION”. Você preencherá este formulário na própria máquina. Não é necessário nenhum tipo de cadastramento prévio. É só chegar na máquina, escolher o idioma (opções: inglês, espanhol, francês, italiano, coreano, holandês, alemão, chinês (Tradicional/Simplificado) e japonês – isso de acordo com o site oficial, mas nas fotos, o português também aparece como opção de idioma) e prosseguir de acordo com as instruções da tela. Você deverá escanear seu passaporte (em algum momento), posar para uma foto, responder às perguntas e escanear o passaporte das pessoas que viajam com você. Será emitido um recibo para cada passageiro, e neste recibo estará indicado para qual fila você deve prosseguir. Se estiver marcado um “X” gigantesco (corta de ponta a ponta), você deve ir para a fila normal. Se o seu papel saiu sem o “X”, você tem acesso a uma fila mais rápida. Em ambas as filas, você conversa com o agente de imigração.

O vídeo acima mostra os dois sistemas que agilizam o processo de entrada nos Estados Unidos:

  • APC: que nós turistas brasileiros temos acesso
  • Global Entry: sistema semelhante ao APC, disponível apenas para cidadãos de alguns países (nossos vizinhos argentinos, por exemplo, têm acesso) e que exige cadastramento prévio (é cobrada uma taxa de US$ 100 anuais para se manter cadastrado neste sistema). Também conta com benefícios extras em relação ao TSA (Transportation Security Administration – Administração de Segurança do Transporte).

Lembrete importante: quem não utilizar o sistema APC ainda precisa preencher o formulário.

Fomos em dezembro de 2017 e o pessoal estava bem perdido, por um motivo simples: pessoas da mesma família às vezes eram direcionadas para filas diferentes. Vi casos em que o pai e o filho foram direcionados para a fila normal e a mãe e filha direcionadas para a fila rápida. Lendo o fórum do TripAdvisor, parece que isso realmente pode acontecer. Aí, tinha gente que queria ficar esperando (e eram convidados a se direcionar para a fila, pois não pode ficar parado ali), e tinha gente que juntava todos os papéis e iam todos para a fila normal. Nós recebemos nosso “X” e fomos para a fila normal mesmo.

APC maquina aeroporto eua
Máquina que acelera o processo de entrada nos Estados Unidos: sistema APC (Automated Passport Control). Vejam que aparece “Português” como idioma disponível.

Fonte da foto: U.S. CBP

Apesar do preenchimento ser feito na máquina, para aqueles que viajam pela primeira vez ou têm alguma dificuldade com o inglês, segue abaixo o exemplo de como preencher o cartão e, consequentemente, como proceder diante das perguntas do terminal eletrônico, já que são praticamente as mesmas perguntas. Se você tiver preenchido o seu dentro do avião (mesmo no voo para o JFK em NY nos entregaram), basta entregar para o oficial de imigração na hora da entrevista (ele não vai usar pra nada, já que você já preencheu na máquina).

customs declaration formulario eua completo.png

Segue a tradução e exemplo de preenchimento em verde:

1 – Family name = sobrenome: SILVA

First (Given) = primeiro nome: JOÃO

Middle = nome do meio: ROBERTO

2 – Birth date = data de nascimento (neste exemplo, você nasceu em 25 de março de 1955)

month = mês (de nascimento no caso): 03

day = dia: 25

year = ano: 55

3 – Number of family members traveling with you = número de membros da família viajando com você (não incluir você na contagem): 2

4 – (a) US street adress (Hotel name / destination) = endereço nos Estados Unidos (nome do hotel / destino): The Carnegie hotel 160 W 56th St

(b) City = cidade: New York

(c) State = Estado: New York

5 – Passport issued by (country) = Passaporte emitido por (país): Brazil

6 – Passport number = número de passaporte: AB00001

7 – Country of residence = país de residência: Brazil

8 – Countries visited on this trip prior to U.S. arrival = países visitados nesta viagem antes da chegada aos Estados Unidos: se seu voo fez escala em algum país, coloque aqui o nome do país

9 – Airline /  flight no or vessel name = companhia aérea / número do voo ou nome do navio: TAM JJ8080

As respostas para as perguntas de 10 a 14 são um “X” que deve ser assinalado em “Yes” (sim) ou “No” (não) para cada questão.

10 – The primary purpose of this trip is business = O propósito primário desta viagem é negócios: marque “Yes” se estiver viajando a trabalho. Lembrando que para trabalhar/realizar negócios nos Estados Unidos é necessário documentação/visto específico.

11 – I am (We are) bringing = Eu estou (nós estamos) trazendo: (não esqueçam de checar as bolsas de seus familiares… hehehe)

(a) fruits, vegetables, plants, seeds, food, insects = frutas, vegetais, plantas, sementes, comida, insetos

(b) meats, animals, animal/wildlife products = carnes, animais, produtos de origem animal ou silvestre

(c) disease agents, cell cultures, snails = agentes causadores de doença, cultura celular, lesmas

(d) soil or have been on a farm/ranch/pasture = terra/solo ou esteve em uma fazenda, rancho ou pasto

12 – I have (We have) been in close proximity of livestock: (such as touching or handling) = Eu estive (nós estivemos) próximo(s) a gado (por exemplo, tocar ou lidar)

13 – I am (We are) carrying currency or monetary instruments over $10,000 U.S. or foreign equivalent: (see definition of monetary instruments on reverse) = Eu estou (Nós estamos) portando moeda ou instrumentos monetários que superam 10 mil dólares ou o equivalente em moeda estrangeira: (veja a definição de instrumentos monetários no verso)

Aqui neste caso, instrumentos monetários são definidos como: moedas, papel moeda, cheque de viagem (traveler checks), cheques administrativos, ações. Não é ilegal entrar com dinheiro nos Estados Unidos, mas se a soma for superior a 10 mil dólares por família, deve-se preencher um formulário específico.

Vale lembrar que são somados os valores de todos os membros da família em qualquer moeda (dólar, euro, real).

14 – I have (We have) commercial merchandise (articles for sale, samples used for soliciting orders, or goods that are not considered personal effects) = Eu tenho (Nós temos) mercadoria comercial (itens para venda, amostras para pedidos, ou bens que não são considerados de uso pessoal)

15 – VISITORS—the total value of all articles that will remain in the U.S., including commercial merchandise is: = VISITANTES – o valor total de todos os artigos que ficarão nos Estados Unidos, incluindo mercadoria comercial (escrever o valor em dólares, caso se aplique).

Parecem questões simples, mas em 2018 uma mulher foi multada em US$ 500 por ser pega com uma maçã em sua bolsa… a qual foi fornecida pela companhia aérea Delta durante o voo de Paris a Minneapolis. Veja o caso aqui.

Antes de responder “YES” (sim) às questões 11 e 12 do formulário, assista ao vídeo abaixo e acesse o site com a lista de produtos de origem animal e vegetal e respectivas regras.

Bom, preenchido o formulário na máquina de APC (considerando que você pousou no JFK), você será direcionado para a fila (normal ou rápida), e finalmente encontrará o agente da imigração, que fará algumas perguntas. Como o post já está bastante longo, vamos deixar essa entrevista para o próximo.

Um comentário em “Dica Prática: Chegando ao principal aeroporto de NY – JFK

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: